domingo, 30 de dezembro de 2012

Desabafo de final de ano

     Abençoados sejam,

    Esse assunto não tem muito a ver com o tema do blog, mas acredito que, quanto mais pessoas lerem isso, melhor. Vai que chega no ouvido certo? Os Deuses podem ajudar :)
 
 

Bem, o final do ano está próximo e o início das minhas férias estão deselegantes. Tirando o fato que eu posso curtir o meu filho direto, não há o que reclamar, mas o fato de terem me obrigado a tirar as férias em dezembro, no trabalho foi de matar. Já é o segundo ano que acontece isso, sem falar que desde 2008 eu explico sempre a mesma coisa, que eu PRECISO TIRAR FÉRIAS NA SEMANA DO CARNAVAL por motivos familiares, mas não, as pessoas simplesmente ignoram esse pedido.
Agora, para melhorar a situação, colocaram mais um funcionário para ajudar. Ajudar, não sei no quê, pois a pessoa também tira as férias em fevereiro. Quer dizer, a beócia aqui, que pede a semana do carnaval, não pode e as pessoas que vêm de fora tiram em fevereiro porque estão há mais uns 20 anos. Certo, mas o setor é diferente e, acredito eu, eu deveria ter prioridade.
Já que a coisa funciona desse jeito, neste ano já comuniquei às pessoas responsáveis que faltarei na semana do carnaval. Infelizmente serei descontada, mas não há o que fazer, uma vez que não me deram alternativa nenhuma.
Tenho compromisso com o meu trabalho, tenho, mas também tenho compromisso, principalmente com a minha família, que é a base de tudo. Ano passado, deixamos de viajar nas férias pelo mesmo motivo e fiquei muito mal com meu marido (que precisa da semana do carnaval, única em que ele tira fperias), mas nesse ano não, não posso fazer isso com meu marido e meu filho.
Como já comuniquei, faltarei ao trabalho na semana do carnaval. Até o presente momento não vi nada sobre a situação. Serei descontada, mas estarei com minha família, cuja semana é a ÚNICA em que posso ficar com meu marido e meu filho juntos.
Pena que as pessoas não conseguem entender isso.
 


quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Samhain - Feliz Ano Novo

Abençoados sejam!

Hoje, nesta data especial, vou postar um texto meu que julgo importante para comemorar o Dia das Bruxas.


Para mim, esta data é a mais especial de toda a Roda do Ano, não só pelo seu significado, como também por todo um conjunto que cerca esta data tão especial. Em Samhain nós comemoramos o Ano Novo Bruxo e é com muito respeito que reverenciamos nossos ancestrais e todos aqueles que partiram para o País do Verão. É uma noite importante e mágica, pois é nesta noite que a comunicação entre os dois mundos: o material e o espiritual está mais forte que o normal. Nesta noite, podemos nos concentrar e ouvir, em nosso interior, as vozes daqueles que estão sempre conosco, nos guiando e nos protegendo.
No mito da Roda do Ano, em Samhain, o Deus morre e a Deusa, em sua fase Anciã lamenta sua morte. Porém, o espírito do Deus ainda está vivo no ventre da Deusa como a criança não nascida. É o início da fase escura da Roda do Ano. Escura não no sentido de má ou algo do gênero, mas sim, escura no sentido em que as plantas morrem para renascerem posteriormente e os animais se recolhem para hibernar. É um período de introspecção e silêncio. Neste período, o Deus se transforma no Senhor da Morte e das Sombras. Famílias pagãs se reúnem, nesta noite, para homenagear os entes queridos que partiram para o País do Verão.
Em uma data tão especial como esta, fico pensando...
Como seria bom se todas as famílias, além das famílias pagãs, se reunissem e homenageassem seus entes queridos. Não quero dizer, com isso, que todas as famílias deveriam assumir os costumes bruxos e sair por aí festejando os mortos, pois esta não é minha intenção, ainda mais porque, os bruxos não obrigam ninguém a assumir nossos valores ou a cultuar o que cultuamos. Cada pessoa é extremamente livre para seguir o caminho que mais lhe convém. O que quero dizer é que, independentemente de credo, religião ou qualquer outra coisa, que todas as pessoas deveriam dedicar um momento em suas vidas para homenagear os entes queridos que partiram para o outro lado. Deveriam refletir por um momento na importância dessas pessoas em suas vidas, mesmo que tenha sido uma convivência breve, de uma forma ou de outra, estas pessoas nos deixaram algum aprendizado.
Samhain me faz refletir a importância de valorizarmos todos aqueles que não estão mais conosco e que nos deixaram seus legados, suas conquistas, suas vitórias, seus ideais e seus sonhos, muitos dos quais, nos cabe, hoje, seguir e concluir. Mas além do respeito e reverência aos que partiram, penso que também deveríamos valorizar muito mais aqueles que, assim como a Deusa e o Deus (neste período) representam nossos Anciãos, aqueles que possuem mais experiência, mais conhecimento e que gostariam de compartilhá-los conosco. Vivemos em uma sociedade que não valoriza nem um pouco nossos idosos. Os idosos são chamados de velhos de forma pejorativa e não de forma a expressar velho como sábio, com conhecimentos a passar. São considerados como uma parte da sociedade que só atrapalha, só estorva. O que é valorizado hoje, é o jovem e, vejam bem, a idade do jovem está sendo considerada cada vez mais cedo. Um bom exemplo disso são as meninas que, com idade cada vez mais precoce, passam horas em salões de beleza e assumem, cada vez mais cedo, atitudes adultas.
Eu gostaria muito que durante a noite de Samhain, as pessoas pudessem parar para refletir e dar maior valor aos que partiram e àqueles que estão se preparando para partir. Que pudessem perceber o quanto estas pessoas têm a acrescentar em nossas vidas e o quanto são importantes para nós. Não adiantará nada debulhar-se em lágrimas depois que elas não estiverem mais presentes e só depois perceber sua importância e o quanto se deixou de aprender e ensinar com elas. Por que não perceber sua importância agora, que estão conosco? Por que não tratar melhor e com mais respeito todos os nossos Anciãos? Por que não parar e ouvir mais o que eles têm a nos dizer? De uma forma ou de outra, eles são os nossos ancestrais nos falando, no presente, sobre seus conhecimentos e experiências do passado, para que os nossos passos e nossas vidas sejam cada vez melhores no futuro.
Um feliz Samhain e que sejam abençoados todos os Anciãos da Terra.
Que assim seja e assim se faça.


E aqui eu encerro com este lindo poema que encontrei em um livro um dia desses. Achei propício colocá-lo aqui.

Idoso é quem tem o privilégio de viver uma longa vida...
Velho é quem perdeu a jovialidade.
Você é idoso quando sonha...
Você é velho quando apenas dorme.

Você é idoso quando ainda aprende...
Você é velho quando já nem ensina.
Você é idoso quando tem planos...
Você é velho quando só tem saudades.

Para o idoso, a vida se renova a cada dia que começa...
Para o velho, a vida se acaba a cada noite que termina.
Que você, quando idoso, viva uma vida longa, mas que nunca fique velho

                                                           Autor desconhecido.

Fico por aqui. Desejo um ótimo Samhain para todos.
Antes que alguém fale, a data de hoje, no hemisfério sul é Beltane. Eu sigo a roda do ano do hemisfério sul, mas devido a parte comercial da coisa, eu também comemoro Samhain junto.
Na próxima postagem, colocarei textos sobre a roda do ano para ler e refletir.
 
 
Que a luz da Lua nos ilumine sempre!
 
 

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Iniciações

        Abençoados sejam!

       Estava com saudades de escrever aqui, no meu livro das sombras virtual, mas o tempo me impediu e somente hoje consegui um tempinho para postar.
       Vou aproveitar a ocasião e postar um texto que acabei de escrever.
       Espero que apreciem.

Li, em site de wicca, sobre a importância da elevação sexual na iniciação de terceiro grau. Dizem eles que, sem esta elevação, sem a canalização das energias e a realização do Grande Rito, o rito de terceiro grau não é válido. Conforme a teoria, a energia envolvida neste rito é poderosa e é mister para que o Bruxo atinja o título de Sacerdote e, posteriormente tenha condições para liderar um coven. Outro ponto importante é ter a consciência cósmica para transcender as preocupações mesquinhas do ego (polo defensivo da personalidade, pondo em jogo uma série de mecanismos de defesa, motivados pela percepção desagradável – sinal de angústia). Quem chega a este nível deve ser capaz de transcender o ego, experimentar a consciência cósmica e canalizar os Deuses se for necessário.
Não sei se entendi bem a mensagem do texto, mas a ideia que eu tive é de que um Bruxo só é Sacerdote e tem algum valor se passar pelo rito de terceiro grau.
Não vou me aprofundar muito sobre o assunto, pois não o conheço profundamente, mas me questiono se é imprescindível a elevação sexual para atingir esse grau de consciência. Será que é preciso ter relações sexuais com a Sacerdotisa ou com o Sacerdote para atingir o ponto máximo de uma iniciação? Será que isto é tão imprescindível a ponto de impedir que alguém lidere um coven ou passe adiante os conhecimentos mágicos?
A Deusa assim afirma: “Todos os ritos de prazer, alegria e amor são meus.” Mas impor que sem a elevação sexual, a pessoa não completa sua formação sacerdotal é um pouco pesado para mim. Sei também que, ao entrar para a wicca, a pessoa que escolheu este caminho está ali porque quer, pois concorda com a filosofia, mas daí dizer que sem s elevação sexual nada tem valor, parece-me muito drástico.
Neste tipo de bruxaria também é comum dizerem que é preciso se desfazer dos conceitos impostos pela sociedade, tais como preconceitos e ideias limitadas como o fato de uma pessoa ser casada com outra que não pertence à wicca e ter de realizar o Grande Rito com o Sacerdote ou a Sacerdotisa. Eles criticam veementemente esse “constrangimento” alegando que o fato de alguém sentir-se mal com tal situação resulta das regras impostas pela sociedade e, se essa pessoa não se sente à vontade, não pode pertencer ao grupo.
Discordo dessa opinião, embora eu saiba que todos os preconceitos e regras foram criadas pela sociedade e, se essa sociedade diz que ter relações sexuais com outras pessoas, mesmo sendo casada com outra, fosse normal, provavelmente eu não teria escrito esse texto. Mas sejamos sinceros: quem de nós iria sentir-se à vontade sabendo que o companheiro(a) tem relações sexuais com outra pessoa com frequência porque precisa canalizar a energia do Deus e da Deusa em um Coven?
Este preceito até pode ter algum fundamento para eles que seguem fielmente as regras impostas por quem “criou” a wicca ( depois criticam a sociedade), mas acredito que não é preciso fazer o Grande Rito com outra pessoa para se conectar com as energias divinas.
Se olharmos dentro de nós e silenciarmos nossa mente, não precisaremos usar o sexo como subterfúgio para alcançar o divino, que já está em nosso interior.


              Por hoje era isso, um grande abraço e que a luz da Lua nos ilumine sempre. )O(


sexta-feira, 13 de abril de 2012

Sexta-feira 13

            Abençoados sejam!!

      Hoje é sexta-feira 13 e eu, como boa Bruxa que sou não poderia deixar passar esta data em branco.
     Todo o mundo, ou pelo menos a maioria das pessoas que conheço, sempre fazem algum comentário sobre a data, claro, considerando o lado negativo da coisa (azar, maldições, pragas, etc), mas esta data não passa de uma data como outra qualquer. É a crença de que a sexta-feira 13 traz má-sorte às pessoas que a tornou importante.
      Minhas pesquisas dizem que não há uma origem certa para o temor da sexta-feira, porém, há lendas e mitologias que explicam o motivo de tal aversão ao dia. Claro, como não poderia deixar de ser, a igreja cristã está metida nisso. Seria neste período que Jesus Cristo foi perseguido e, antes de ser crucificado, em numa sexta-feira, ele teria celebrado uma ceia que ao todo contava com 13 participantes.
     Historicamente, existe a versão referente à consolidação da monarquia francesa. Ao sentir-se ameaçado pelo poder e influência exercido pela igreja (novamente a igreja), Felipe IV tentou se filiar à ordem dos Cavaleiros Templários, que negou a entrada do monarca. Despeitado pela recusa, ordenou a perseguição dos Templários em uma sexta-feira, 13 de outubro de 1307.
      Mas apesar destas especulações dando a entender que foi a igreja quem inventou a data, a verdade é que a origem da sexta-feira 13 é pagã, assim como o Natal e a Páscoa. São datas comemoradas há centenas de anos pelos pagãos, mas quando a igreja cristã impôs seu domínio, determinou que as celebrações eram “coisa do Demônio” e as proibiu. E, “inteligentemente” absorveu vários simbolismos pagãos, afirmando serem cristãos. Querem 2 exemplos disso? A árvore de natal e os ovos de páscoa.
      Sendo assim, vamos à origem desta data.
     Em Valhalla, a morada dos deuses nórdicos, houve um banquete no qual 12 deidades foram convidadas. Loki, deus do fogo e da discórdia, ficou enciumado por não ter sido convidado e enganou um deus cego para que este ferisse o deus solar Baldur, favorito de Odin, o deus dos deuses, causando grande confusão. Dessa mitologia surgiu a ideia de que reunir 13 pessoas não seria bom.
      Já a parte da sexta-feira, origina-se da Escandinávia e trata da deusa Frigga, a deusa da fertilidade e do amor. Quando as tribos nórdicas foram obrigadas a se converter ao cristianismo (olha a igreja cristã aí gente!), Frigga foi transformada em bruxa e exilada no alto de uma montanha. Diziam que, para se vingar, Frigga reunia-se todas as sextas-feiras com outras 11 bruxas e o demônio, somando 13, para jogar maldições e pragas sobre os humanos. Tal estória gerou raiva e animosidade das pessoas contra a deusa. Como a sexta-feira feira era o dia consagrado à Frigga, o advento do patriarcado fez com que esse dia fosse amaldiçoado.
      Sendo assim, após ver a origem desta data, chega-se à seguinte conclusão: a sexta-feira 13 é um dia comum como qualquer outro. O fato dos nórdicos acreditarem não ser aconselhável reunir 13 pessoas é uma coisa, associar o número 13 ao azar e acontecimentos ruins é outra bem diferente. E a sexta-feira ter sido associada a algo ruim, deve-se única e exclusivamente ao fato da igreja induzir as pessoas a acreditarem que uma deusa, antes cultuada com respeito, agora era uma bruxa má que se reunia com o Demônio para fazer mal a humanidade.
      Esta superstição é tão tola que, se fosse verdadeira, os covens não seriam compostos por 13 bruxos. E o número 13 é especial, pois também se refere às 13 lunações do ano, tão importantes para nós, bruxos e sacerdotes.
Há muitos anos, uma repórter de um programa de rádio da RBS, ligou para mim perguntando se eu poderia gravar uma entrevista falando sobre a sexta-feira 13. Concordei e o que eu disse a ela foi exatamente as mesmas coisas que eu escrevi aqui. Ressaltei que a imagem de bruxa ruim, de gato preto que dá azar e de outras coisas relacionadas à bruxaria origina-se da igreja cristã, que ao dominar as outras religiões existentes deturpou todos os conceitos para poder ficar no controle. Na verdade, até falei mais, mas o resto da conversa que abordava a importância das Bruxas, infelizmente não foi ao ar. Foi engraçado que, após a minha entrevista, outra bruxa foi entrevistada dando dicas de como se proteger na sexta-feira 13. Hilário.
      O que eu quero deixar claro neste texto é: criar imagens deturpadas de como as coisas realmente são é muito fácil, ainda mais se for para dominar o povo que está na ignorância. Agora, ensinar o povo a pensar e a progredir é que é o difícil.
      Não sei se minha opinião vale de alguma coisa a vocês, mas sendo Bruxa e Sacerdotisa, afirmo: sexta-feira 13 é um dia comum como qualquer outro, porque posso estar na rua caminhando calmamente em um sábado 14 e, devido minha falta de atenção, posso cair, torcer o tornozelo ou quebrar o pé. E aí? Vou colocar a culpa em quem? No sábado 14, porque foi depois da sexta-feira 13?

      Fico por aqui, até a próxima postagem e que a lua da Lua nos ilumine sempre.




quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

A importância do trabalho com a Sombra

    Abençoados sejam!!


  Venho hoje aqui para postar um texto que escrevi sobre a importância do trabalho com a sombra, ou seja, o trabalho com o nosso lado obscuro. O lado que nunca queremos mostrar nem para os outros nem para nós mesmos.
  Após a leitura, mandem suas opiniões.

Trabalhar com nosso lado sombrio é de vital importância, tanto na vida cotidiana quanto na vida dedicada à Arte. Cada vez mais, percebemos que as pessoas têm a tendência de esconderem dos outros e de si mesmas, seu lado escuro.
Aprendemos, ao longo de nossas vidas, a mostrar para a sociedade somente o lado que a mesma deseja ver. Formamos nossa personalidade de acordo com as regras ditadas por ela e o que ela não gosta, nós escondemos, fechamos em um baú e jogamos a chave fora.
Como para atingirmos certos objetivos na vida, nós precisamos seguir as regras sociais, nós acabamos criando um padrão, uma fachada para apresentar às pessoas, sejam nossos familiares, sejam nossos amigos ou sejam nossos conhecidos. E é por isso que fica tão complicado de trabalharmos com nossa sombra.
Trabalhar com nosso lado menos agradável requer, antes de mais nada, maturidade. É preciso aceitar que temos defeitos antes de sairmos por aí acusando ou criticando as outras pessoas por suas atitudes que, por vezes, é a nossa atitude também. E tal ação é fundamental para aqueles que querem seguir o caminho da magia. Para começar, é preciso parar, olhar para dentro de nós e analisar a fundo nossa personalidade: do que gostamos, do que não gostamos, como reagimos a certas situações, quais nossas atitudes instintivas, enfim, todas as atitudes que temos no momento em que nos relacionamos com os outros.
É importante lidar com nossa sombra porque precisamos nos entender antes de querer sair por aí fazendo feitiços e meditações. Se nós não entendemos o motivo de termos determinadas atitudes, como vamos entender o por quê nós estamos realizando tal meditação, tal ritual? Temos que parar para analisar se o que estamos fazendo é bom parar nós ou é só para mostrar ao outro como somos poderosos ou como conseguimos tal resultado com facilidade. E é na Bruxaria que observamos essas atitudes mais claramente. Podemos ver isso em qualquer lugar que haja pessoas denominadas Mestras e que queiram aparecer mais que os outros. É a legítima fogueira das vaidades. É preciso que nós tenhamos total consciência desse lado “ruim” para que possamos trabalhar com ele, e que possamos, então, evoluir espiritualmente, afinal, para haver a luz, é preciso haver também a escuridão.
Entender a si mesmo é um processo complicado e complexo que envolve tempo e determinação da pessoa que quer seguir um caminho equilibrado na Bruxaria e na vida cotidiana. É importante que, nesse caminho, nenhuma etapa seja pulada, pois poderão surgir lacunas nas quais faltarão algumas conexões e algum entendimento do que a pessoa esteja buscando. Se esse caminho não for trilhado passo a passo, tudo o que a pessoa construiu pode vir a ruir em algum momento.
Uma boa ocasião para a pessoa analisar-se é ver sua reação em determinada situação. Por exemplo: se a pessoa está em um grupo de bruxos, como ela reage se alguém diz que conseguiu tal resultado? Sente inveja, ciúmes, raiva? Esses momentos são perfeitos para a pessoa fazer sua auto-análise, pois é na vivência e na prática que a pessoa pode se analisar diante de determinada ocasião.
Por isso, um bom bruxo não é aquele que aparenta ser calmo, sereno, mas que fora do campo de visão dos outros se estressa facilmente e sai agredindo os outros, um bruxo de verdade, é aquele que entende a si mesmo, entende o motivo de ficar zangado em determinada situação e trabalha com esse sentimento para saber como lidar com ele seja em qual situação for. Um bruxo de verdade é aquele que tem os dois lados da mesma moeda em seu coração e sabe usá-los com justiça e consciência.

                                                                           Morghana Riona 15/02/2012



          Bem, espero que tenham gostado do texto.
          Até a próxima postagem e que a luz da Lua nos ilumine sempre.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Sacerdotisa Druida Lira

          Abençoados sejam!!

        Estou passando rapidamente por aqui hoje para postar um "anúncio", digamos assim. Como hoje em dia tudo ou quase tudo se faz pela Internet, então aproveito para deixar registrado que eu gostaria muito, mas muito mesmo de poder reencontrar minha antiga Mestra Lira.
      Infelizmente, nos separamos em 2007 e eu nunca mais consegui falar com ela ou manter contato. Ela ministrava suas aulas na Rua Jerônimo Coelho em Porto Alegre.
       O pior de tudo, foi que eu fiquei apenas com o nome Pagão dela, não tenho nem ideia do nome civil.
       Acredito que a Deusa, um dia, vai fazer com que eu reencontre com ela, mas enquanto isso não acontece, peço que se alguém ler este texto, for ex-aluno dela e saiba de alguma informação, por favor, entre em contato.
     Acredito que, quem se separou de alguém de que gostava muito e depois nunca mais encontrou, sabe bem do que eu estou falando.
      

        Até a próxima,

     "Que a luz da Lua nos ilumine sempre."


quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Bruxas na Moda

                Abençoados sejam!!


          Vim hoje aqui para postar o texto de que lhes falei na postagem passada: Bruxas na Moda. É um texto antigo sobre uma novela das seis da Globo que abordaria magia e bruxaria.

         
Assim que eu soube da nova novela das 6 da Rede Globo, comecei a ficar preocupada, aliás, muito preocupada. De acordo com minhas pesquisas, a novela versará sobre a Wicca, a Deusa e as Bruxas. Certo, até aqui estamos todos bem. O que me preocupa é a repercussão que tal novela possa vir a ter. Como tudo o que surge na Rede Globo acaba virando moda, tenho receio que a Arte também acabe virando um modismo, ou seja, depois do dia 14 de maio é bem provável o surgimento de centenas de pessoas, principalmente, adolescentes, dizendo-se Bruxas sem nem ao menos saber, ao certo, o que realmente estão fazendo e o que significa isto. Por outro lado, a divulgação da Wicca por uma emissora como a Globo pode se tornar um evento interessante, uma vez que, a partir disto, podem surgir Bruxas de verdade e que até então não tinham informações suficientes sobre a religião da Deusa. Porém, isto me deixa com um pé atrás, porque não sei se um assunto tão importante e sério como a Bruxaria, será tratado com o devido respeito e atenção de que merece.
Como tudo na Natureza tem o lado bom e o lado mal, é preciso ficar de olho em qualquer passo em falso que a autora da novela possa dar se não tiver um conhecimento sólido sobre o que está escrevendo.
Para muitas pessoas que têm um conhecimento superficial sobre a Arte, tais fatos podem passar despercebidos, porém, ao ler uma das inúmeras reportagens sobre a novela, fiquei apreensiva com um fato: determinada atriz vai interpretar uma Bruxa do bem. Certo, e quem será que vai fazer a Bruxa do mal? Ah sim, agora lembrei. A atriz Cássia Kiss fará a vilã e, imagino eu, será a Bruxa do mal. Há dois pontos extremamentes importantes a se destacar aqui:
Primeiro: é um erro absurdo classificar Bruxa do bem e Bruxa do mal. Para escrever uma história sobre Bruxaria é imprescindível que o autor saiba o que está escrevendo. Desde que o mundo é mundo, sabe-se que não existe a classificação de Bruxa do bem ou Bruxa do mal, assim como não tem essa de magia branca e magia negra. A magia é única e será aplicada para ajudar ou prejudicar conforme a atitude da pessoa que a pratica. Não é a magia que é branca ou preta, é a índole de quem a emprega que fará da magia algo bom ou ruim. Portanto, a definição de Bruxa do bem e Bruxa do mal não é valida. Uma Bruxa é uma Bruxa e ponto, não tem lado. Assim como a magia não é um arco-íris, no qual há a magia branca, negra, vermelha, cor-de-rosa...
Segundo: Bruxas Wiccas não acreditam nem cultuam o Diabo, pois ele é uma criação da Igreja Católica. Sabendo disto, por que os atores ou a autora da novela resolveram criar o visual da vilã da história exatamente igual ao da atriz Meryl Streep no filme O Diabo veste Prada? Está claro que o enredo do filme nada te a ver com o enredo da novela, mas não é uma “coincidência” que, justamente, a vilã da novela tenha seu visual inspirado em uma vilã de um filme cujo título envolve o Diabo? Em nenhum dos enredos se fala em adoração ao Diabo ou coisa do tipo, mas utiliza-se o Diabo para dar uma idéia de alguém perverso, muito mau. E por que a vilã desta novela teve de ter um visual igual à outra vilã? Para dizer que a Bruxa má é um ser diabólico? Será que, neste simples detalhe não há uma certa associação? É algo para se pensar...
E, para terminar por aqui, antes que eu me preocupe mais, queria citar outro aspecto da novela. No desenvolvimento da trama haverá a disputa entre duas irmãs pelo amor do mesmo homem. Serão abordados temas como amor e paixão, mas será que uma delas, ou as duas, sendo Bruxas saberão utilizar seus dons de forma correta, respeitando, principalmente, a Lei do Livre Arbítrio? Ou farão como centenas de pessoas por aí que perdem seu precioso tempo correndo atrás de super feitiços que façam com que fulano seja eternamente apaixonado por beltrano, em vez de se conectarem com as energias do Universo e da Deusa para desejar e atrair mais amor para si e para os outros? Será que vão explicar também alguns pontos básicos da Wicca como: A Lei Tríplice, na qual tudo o que se faz, tanto para o bem quanto para o mal retorna 3 vezes? Ou o Dogma da Arte, que diz que podemos fazer o que quisernos desde que não prejudiquemos ninguém? Oh dúvidas cruéis...
Sei que a nova novela das seis é ficção, mas não posso deixar de me preocupar com as consequências que podem surgir se uma informação for mal interpretada e passada para milhares de pessoas de maneira equivocada. O pior de tudo vai ser se, depois que a novela começar, alguém me olhar na rua e fizer algum comentário sobre o pentagrama que uso no pescoço. Dizendo algo do tipo: “Ah, é o símbolo das Bruxas da novela!” (Isso se chegar a aparecer um pentagrama....) Aí sim, ninguém merece...
A Wicca está aí sim, para ser divulgada e explicada para todos aqueles que ouviram o Chamado da Deusa e para aqueles que querem conhecer mais sobre A Arte. Contudo, é preciso muito cuidado e atenção para que as informações sejam passadas com responsabilidade, como realmente são e não como se fossem simples contos de fadas.
Bem, como a novela ainda não foi ao ar, só me resta aguardar e pedir à Deusa que a nossa Religião, a Arte, seja tratada com a importância e o respeito que merece. As Bruxas de hoje, de amanhã e os nossos Antepassados agradecem.
E que assim seja e assim se faça.
                              Morghana Riona


Apesar deste texto ser de 2007, de igual forma, eu acho interessante postá-lo, pois embora a novela não exista mais, a mensagem que eu passei no texto ainda é muito pertinente.
Fico por aqui. Até a próxima postagem!
"Que a luz da Lua nos ilumine sempre."


                                     

sábado, 7 de janeiro de 2012

Texto na Internet

               Abençoados sejam!


         Olá Bruxas e Bruxos de todos os Covens, Groves, Grupos e similares! Como passaram a virada de ano? Sei que o nosso ano só começa em 1º de maio, mas embora nossa Roda do Ano seja diferente, também não podemos nos afastar da maioria, não é verdade?
        Meu ano começou devagar, mas espero que ao longo dele, as coisas melhorem e coisas novas apareçam, porém, é como sempre dizem, só vão acontecer se a gente fizer por onde...
       Bem, minha primeira postagem de 2012 vai ser bem rápida. Vim aqui hoje para postar a imagem daquele texto de que falei para vocês em 4 de novembro de 2011. Tentei copiar e colar o texto da internet para colocar aqui (claro, citando a fonte), mas não houve possibilidade, então consegui escanear o texto que eu havia impresso.
       Espero que gostem da leitura.
       Fico por aqui, até a próxima e

       "Que a luz da Lua nos ilumine sempre."