quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Dia das Bruxas


           Abençoados sejam!!

           Encontrei essas informações sobre o dia de hoje e achei interessante compartilhar com vocês. Havia muita informação que eu não sabia e agora tenho conhecimento. Porém tem uma parte no texto que fala do encontro das Bruxas com o Diabo e que elas faziam horrores às pessoas... A Wicca diz que não existe Diabo e que os Bruxos não tem nada a ver com a criatura, já outros Bruxos "mais pesados" pensam diferente disso e lidam com energias vinculadas a entidade... eu já nem sei mais em que acreditar, pois já andei nesses dois lados (hoje não ando em lado nenhum, apenas na minha reta). Talvez o nome não seja Diabo, mas vamos concordar que o Deus Cornífero é bem semelhante com ele. Quem criou a denominação foi a Igreja para fazer as pessoas temerem o deus e acreditarem que ele era mau. De repente a energia é a mesma, mas vista por diferentes ângulos.
         Certo, mas eu não vim aqui hoje para falar desse tema, pois ainda haverá tempo para isso. Só vim desejar um ótimo Ano Novo, com muita paz, realização, amor, prosperidade e saúde. Que o ano que inicia traga bons fluidos para nossa vida e que nos torne seres cada vez mais evoluídos (o que é difícil).
        Posteriormente colocarei textos mais completos sobre Samhain. Por hoje era só.
 



http://www.alemdaimaginacao.com/Noticias/A%20Historia%20do%20Haloween.html

"A Data de 31 de Outubro é mundialmente conhecida como "O dia das Bruxas ou Halloween", que é uma festa típica que acontece nos países anglo-saxônicos, com especial relevância nos Estados Unidos.
Mas de onde surgiu esse misterioso e sinistro costume?"


 
A seguir está a história!
=================================================================================
O Dia das Bruxas (Halloween é o nome original na língua inglesa) é um evento tradicional e cultural, que ocorre nos países anglo-saxônicos, com especial relevância nos Estados Unidos, Canadá, Irlanda e Reino Unido, tendo como base e origem as celebrações dos antigos povos, sendo que não existe ao certo referências precisas de onde surgiram essas celebrações.
A palavra Halloween tem origem na Igreja católica.
Vem de uma tradição contraída do dia 1 de novembro, o Dia de Todos os Santos, é um dia católico de observância em honra de santos.
Mas, no século V DC, na Irlanda Céltica, o verão oficialmente se concluía em 31 de outubro.
O feriado era Samhain, o Ano novo Céltico.
Alguns bruxos acreditam que a origem do nome vem da palavra hallowinas - nome dado às guardiãs femininas do saber oculto das terras do norte (Escandinávia).
Mas os estudiosos dizem que a palavra Halloween surgiu da seguinte forma:
O nome é, na realidade, uma versão encurtada de "All Hallows' Even"(Noite de Todos os Santos), a véspera do Dia de Todos os Santos (All Hallows' Day).
"Hallow" é uma palavra do inglês antigo para "pessoa santa" e o dia de todas as "pessoas santas" é apenas um outro nome para Dia de Todos os Santos, o dia em que os católicos homenageiam todos os santos. Com o tempo, as pessoas passaram a se referir à Noite de Todos os Santos, "All Hallows' Even", como "Hallowe'en", e mais tarde simplesmente "Halloween".

O Halloween marca o fim oficial do verão e o início do ano-novo.
Celebra também o final da terceira e última colheita do ano, o início do armazenamento de provisões para o inverno, o início do período de retorno dos rebanhos do pasto e a renovação de suas leis.

Era uma festa com vários nomes: Samhain (fim de verão), Samhein, La Samon, ou ainda, Festa do Sol.
Mas o que ficou mesmo foi o escocês Hallowe'en.
Uma das lendas de origem celta fala que os espíritos de todos que morreram ao longo daquele ano voltariam à procura de corpos vivos para possuir e usar pelo próximo ano. Os celtas acreditavam ser a única chance de vida após a morte.
Os celtas acreditaram em todas as leis de espaço e tempo, o que permitia que o mundo dos espíritos se misturassem com o dos vivos.

Como os vivos não queriam ser possuídos, na noite do dia 31 de outubro, apagavam as tochas e fogueiras de suas casa, para que elas se tornassem frias e desagradáveis, colocavam fantasias e ruidosamente desfilavam em torno do bairro, sendo tão destrutivos quanto possível, a fim de assustar os que procuravam corpos para possuir, (Panati).
Os Romanos adotaram as práticas célticas, mas no primeiro século depois de Cristo, eles as abandonaram.
O Halloween foi levado para os Estados Unidos em 1840, por imigrantes irlandeses que fugiam da fome pela qual seu país passava e passou ser conhecido como o "Dia das Bruxas".
Travessuras ou Gostosuras? (Trick-or-treat)

A brincadeira de "doces ou travessuras" é originária de um costume europeu do século IX, chamado de "souling" (almejar).
No dia 2 de novembro, Dia de Todas as Almas (ou Finados aqui no Brasil), os cristãos iam de vila em vila pedindo "soul cakes" (bolos de alma), que eram feitos de pequenos quadrados de pão com groselha.
Para cada bolo que ganhasse, a pessoa deveria fazer uma oração por um parente morto do doador.
Acreditava-se que as almas permaneciam no limbo por um certo tempo após sua morte e que as orações ajudavam-na a ir para o céu.

Abóboras e velas: Jack O'Lantern (Jack da Lanterna)
 
A vela na abóbora provavelmente tem sua origem no folclore irlandês.
Um homem chamado Jack, um alcoólatra grosseiro, em um dia 31 de outubro bebeu excessivamente e o diabo veio levar sua alma. Desesperado, Jack implora por mais um copo de bebida e o diabo concede.
Jack estava sem dinheiro para o último trago e pede ao Diabo que se transformasse em uma moeda. O Diabo concorda.
Mal vê a moeda sobre a mesa, Jack guarda-a na carteira, que tem um fecho em forma de cruz.
Desesperado, o Diabo implora para sair e Jack propõe um trato: libertá-lo em troca de ficar na Terra por mais um ano inteiro.
Sem opção, o Diabo concorda.
Feliz com a oportunidade, Jack resolve mudar seu modo de agir e começa a tratar bem a esposa e os filhos, vai à igreja e faz até caridade.
Mas a mudança não dura muito tempo, não.
No próximo ano, na noite de 31 de outubro, Jack está indo para casa quando o Diabo aparece. Jack, esperto como sempre, convence o diabo a pegar uma maçã de uma árvore.
O diabo aceita e quando sobe no primeiro galho, Jack pega um canivete em seu bolso e desenha uma cruz no tronco.
O diabo promete partir por mais dez anos.
Sem aceitar a proposta, Jack ordena que o diabo nunca mais o aborreça.
O diabo aceita e Jack o liberta da árvore.
Para seu azar, um ano mais tarde, Jack morre, e em seguida tenta entrar no céu, mas sua entrada é negada.
Sem alternativa, vai para o inferno.

Chegando lá, encontra o diabo, o qual ainda desconfiado e se sentindo humilhado, também não permite sua entrada, e como castigo, o diabo joga uma brasa para que Jack possa iluminar seu caminho pelo limbo. Jack põe a brasa dentro de um nabo para que dure mais tempo e sai perambulando.
Devido à esse acontecimento, sua alma penada passa a ser conhecida como Jack O'Lantern (Jack da Lanterna).
Os nabos na Irlanda eram usados como "lanternas do Jack" originalmente, mas quando os imigrantes vieram para a América, eles descobriram que as abóboras eram muito mais abundantes que nabos.
Então começaram à utilizar abóboras iluminadas com uma brasa por dentro ao invés de nabos.

Por isso a tradição de se fazer caricaturas em abóboras e iluminá-las por dentro com uma vela na época de Halloween.

Segundo a lenda, quem presta atenção e consegue ver uma pequena luz fraca na noite de 31 de outubro, é porque conseguiu ver a passagem de Jack procurando uma saída do limbo em que está preso.

BRUXAS
 
As bruxas tem um papel importantíssimo no Halloween.
Não é à toa que o dia 31 de Outubro é conhecida como "Dia das Bruxas" em português.
Segundo várias lendas, as bruxas se reuniam duas vezes por ano durante a mudança das estações: no dia 30 de abril e no dia 31 de outubro.
Segundo conta-se a lenda, chegando em vassouras voadoras, as bruxas participavam de uma festa chefiada pelo próprio Diabo.
Elas jogavam maldições e feitiços em qualquer pessoa, transformavam-se em várias coisas e causavam todo tipo de transtorno.
Diz-se também que para encontrar uma bruxa era preciso colocar suas roupas do avesso e andar de costas durante a noite de Halloween.
Então, à meia-noite, você veria uma bruxa!
A crença em bruxas chegou aos Estados Unidos com os primeiros colonizadores.
Lá, elas se espalharam e misturaram-se com as histórias de bruxas contadas pelos índios norte-americanos e, mais tarde, com as crenças na magia negra trazidas pelos escravos africanos.
O gato preto é constantemente associado às bruxas devido à lendas, as quais citam que elas podem transformar-se em gatos e também devido à crenças, as quais pregam que os gatos são na realidade espíritos de pessoas mortas.
Muitas superstições estão associadas aos gatos pretos.
Uma das mais conhecidas é a de que se um gato preto cruzar seu caminho, você deve voltar pelo caminho de onde veio, pois se não o fizer, é azar na certa.

O Halloween pelo Mundo
A festa de Halloween, na verdade, equivale ao "Dia de Todos os Santos" e o "Dia de Finados", e foi absorvido pela Igreja Católica para apagar os vínculos pagãos, dando origem a festa. Os países de origem hispânica comemoram o Dia dos Mortos e não o Halloween.
No Oriente, a tradição é ligada às crenças populares de cada país.
Brasil
O Halloween no Brasil é chamado de Dia das Bruxas e sua celebração acontece no dia 31 de outubro.
Acredita-se que na passagem dessa noite as almas saem de seus túmulos e partem pelas ruas amedrontando todos aqueles que estão por perto.
O dia das bruxas se infiltrou em nossas comemorações de forma tímida, pois o Brasil, país que celebra as coisas boas da vida, não se vê em meio a festividade aos mortos.
Apesar de sua pequena influência, pode ser vista em escolas, clubes, casas noturnas e shoppings de várias cidades, mas como dito anteriormente, não adquire força expressiva, já que nem o folclore local é efetivamente comemorado.
Muitos nacionalistas dão créditos à influência do imperialismo cultural americano a vinda do halloween, assim, alguns brasileiros, localizados em São Luiz do Paraitinga (estado de São Paulo), decretou o dia 31 de outubro como o dia oficial do Saci Pererê em protesto à inclusão do Halloween.
A maioria das manifestações critica a posição dos brasileiros em importar a cultura americana, já que o país tem grande diversidade folclórica que não é aproveitada e comemorada.
Apesar de todo o esforço da imprensa em destacar essa festividade norte-americana, os brasileiros não costumam festejar a data.
É uma festa celebrada por poucos.
No Rio de Janeiro as manifestações são caracterizadas por placas espalhadas pela cidade opondo tal prática e ainda em pedido ao retorno das considerações brasileiras, isto é, dar valor e importância às crenças nascidas no país, deixando manifestar o patriotismo dentro de nossa cultura.
Mesmo dessa forma, as festas de Halloween no Brasil tem se tornado comuns, principalmente entre o público jovem, os quais se reunem em clubes privados ou mesmo em salões particulares, promovendos festas a fantasia com motivos de "horror", objetivando comemorar a data considerada como "O Dia das Bruxas".
Devido à realização dessas festas, o comércio de fantasias e motivos voltados à monstros e bruxas tem tido um aumento expressivo no mês de Outubro de cada ano.
Estados Unidos
Desde 1800, quando os imigrantes irlandeses e escoceses levaram suas festividades de Halloween para a América do Norte, a festa tem se desenvolvido consideravelmente.
A conexão da festa com o Dia de Todos os Santos e o Dia de Finados ficou praticamente deixada de lado, e muitas novas tradições seculares se desenvolveram.
Para as crianças, fantasiar-se e sair pelas casas fazendo a brincadeira do "travessuras ou gostosuras" ainda é o maior evento.

A maioria das famílias nos Estados Unidos e no Canadá participam, mesmo porque não querem correr o risco de pequenos vandalismos.
Muitos adultos se fantasiam e participam com seus filhos de festas a fantasia e concursos.
Outras atividades de Halloween ocorrem durante o mês todo de outubro.
Estas tradições preservam o espírito de alegria do Samhain diante dos pensamentos assustadores de morte e do sobrenatural.
Os americanos acrescentaram filmes de terror, casas assombradas comunitárias, histórias de fantasmas e quadros espiritualistas.
Cartões e decorações também fazem parte do Halloween.

A festa só perde para o Natal no faturamento total do comércio.
Um outro costume comum do Halloween é recolher dinheiro para a UNICEF (site em inglês), em vez de doces.
Esse costume começou em 1950 no estado da Filadélfia, quando uma turma de uma escola dominical teve a idéia de recolher dinheiro para as crianças necessitadas ao brincar de "travessuras ou gostosuras".
Eles enviaram o dinheiro que conseguiram, cerca de US$ 17,00, para a UNICEF, que foi inspirada pela idéia e começou um programa de "travessuras ou gostosuras", em 1955.
Espanha
Na Espanha, a tradição de se comemorar o Halloween ainda é recente, tendo chegado praticamente por volta do ano 2000.
O marketing feito sobre a sociedade americana cuidou de universalizar esta festa para proporcionar benefícios econômicos em vários setores, como parques temáticos, livros, cinema e até a gastronomia”.
Na Espanha, as s escolas enfeitam o pátio com abóboras e as crianças se fantasiam de “muertos vivientes”, que são os mortos-vivos, além de bruxas e fantasmas.
Assim como nos Estados Unidos, estando as crianças prontas para a festa, saem às ruas para pedir doces e comidas típicas desta época, porém não são todas as pessoas que gostam.
Muitos vizinhos nem sequer abrem as portas, pois se sentem incomodados e acham que tudo não passa de uma grande besteira.
A Espanha é um dos países que ainda mantém a antiga tradição do culto e respeito aos mortos, assim como no Brasil.
Os espanhóis costumam ir ao cemitério para limpar os túmulos e levar flores, como é costume no Brasil no feriado de Finados, em 2 de novembro.
Além disso, o 31 de outubro coincide com a colheita de castanhas e abóboras, na comemoração chamada de “Castanhada”.
Irlanda
A Irlanda é considerada como o país de origem do Halloween. Nas áreas rurais, as pessoas acedem fogueiras, como os celtas faziam nas origens da festa e as crianças passeiam pelas ruas dizendo o famoso “tricks or treats” (doces ou travessuras).
México
No dia 1º comemora-se o Dia dos Anjinhos, ou Dia dos Santos Inocentes, quando as crianças mortas antes do batismo são relembradas.
O Dia dos Mortos (El Dia de los Muertos), 2 de novembro, é bastante comemorado no México.
As pessoas oferecem aos mortos aquilo que eles mais gostavam: pratos, bebidas, flores.
Na véspera de Finados, família e amigos enfeitam os túmulos dos cemitérios e as pessoas comem, bebem e conversam, esperando a chegada dos mortos na madrugada.
Uma tradição bem popular são as caveiras doces, feitas com chocolate, marzipã e açúcar.
Tailândia
Nesse país, existe o festival Phi Ta Khon, comemorado com música e desfiles de máscaras acompanhados pela imagem de Buda.
Segundo a lenda, fantasmas e espíritos andam entre os homens, sendo que a festividade acontece no primeiro dia das festas budistas.
 
Símbolos típicos do Halloween com seus misticismos e significados:


A abóbora:Simboliza a fertilidade e a sabedoria.
 


A vela: .
Indica os caminhos para os espíritos do outro plano astral
.


O caldeirão:
Fazia parte da .cultura, .como mandaria .a tradição. Dentro dele, os convidados devem atirar.moedas.e.mensagens.escritas.com pedidos dirigidos aos espíritos.
 

A vassoura:Simboliza o poder feminino que pode efetuar a limpeza da energia negativa.
Equivocadamente, pensa-se que ela servia para transporte das bruxas.

 
 

As moedas:Devem ser recolhidas no final da festa para serem doadas aos necessitados.
 
 

Os bilhetes:Com os pedidos, devem ser incinerados para que aquilo que é solicitado através da mensagem escrita seja mais rapidamente atendido, pois se elevará através da fumaça.
 


A aranha:Simboliza o destino e os fios que tecem suas teias, o meio, o caminho e suporte para seguir em frente
.


Os morcegos:Simbolizam a clarividência, pois eles conseguem ver além das formas e das aparências, sem a necessidade da visão ocular.
Conseguem captar as formas e as distâncias através de sua própria energia, emitindo sinais ultrassônicos
 
.


O sapo:

Está ligado à simbologia do poder da sabedoria feminina, símbolo lunar e atributo dos mortos e de magia feminina.

 
 


O Gato preto:

Símbolo da capacidade de meditação e recolhimento espiritual, autoconfiança, independência e liberdade. Plena harmonia com o Universo.
 


Laranja - Cor da vitalidade e da energia que gera força. Os druidas acreditavam que nesta noite, passagem para o Ano Novo, espíritos de outros planos se aproximavam dos vivos para vampirizar a energia. vital encontrada na cor laranja.
Preto - Cor sacerdotal das vestes de muitos magos, bruxas, feiticeiras e sacerdotes em geral.
- Cor do mestre.


Roxo - Cor da magia ritualística.

 
A celebração do Dia das Bruxas em 31 de Outubro, muito possivelmente em virtude da sua origem como festa dos druidas, vem sendo ultimamente promovida por diversos grupos neo-pagãos, e em alguns casos assume o caráter de celebração ocultista.
Hollywood fornece vários filmes sobre o tema, entre os quais se destaca a série "Halloween", no qual um assassino misterioso e praticamente "imortal" retorna para se vingar em sua cidade natal.
Muitos desses filmes, apesar das restrições de exibição, acabam sendo vistos por crianças, gerando nelas o medo e má impressão das festas de Halloween.
Porém, não existe ligação dessa festa com o mal.
Na celebração atual do Halloween, podemos notar a presença de muitos elementos ligados ao folclore em torno da bruxaria.
As fantasias, enfeites e outros itens comercializados por ocasião dessa festa estão repletos de bruxas, gatos pretos, vampiros, fantasmas e monstros, no entanto isso não reflete a realidade pagã.



http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2013/10/veja-lista-de-historias-horripilantes-dignas-do-dia-das-bruxas.html

31/10/2013 07h30 - Atualizado em 31/10/2013 07h30

Veja lista de histórias horripilantes dignas do Dia das Bruxas

Mansão na China está abandonada há décadas por ser 'mal-assombrada'.
Vila sérvia avisa moradores sobre a volta de fantasma de vampiro.

Do G1, em São Paulo


21 comentários

Decoração assustadora
Uma família de Mustang, no estado de Oklahoma (EUA), chocou os vizinhos ao colocar decorações de Halloween (Dia das Bruxas) assustadoramente realistas. O casal Johnnie e Jennifer Mullins instalou decorações que incluem um homem que parece ter sido atropelado por uma caminhonete e outro cuja cabeça parece ter sido esmagada pela porta da garagem, provocando preocupação na vizinhança (leia a matéria).
 Família de Oklahoma chocou os vizinhos ao colocar decorações de Halloween assustadoramente realistas (Foto: Reprodução/Facebook/Johnnie Mullins) Família de Oklahoma chocou os vizinhos ao colocar decorações de Halloween assustadoramente realistas (Foto: Reprodução/Facebook/Johnnie Mullins)
Mansão abandonada
Localizada no centro de Pequim, na China, uma mansão com arquitetura barroca francesa está abandonada desde o fim dos anos 40, já que muitos dos moradores da região acreditam que a residência seria mal-assombrada. O local não encontrou compradores desde que foi cenário de uma tragédia em 1949, quando uma mulher, abandonada pelo marido, teria tirado a própria vida dentro da casa (leia a matéria).
Apesar de estar localizada em área considerada nobre de Pequim, mansão não encontra compradores (Foto: Gilles Sabrie/The New York Times)Apesar de estar localizada em área considerada nobre de Pequim, mansão não encontra compradores (Foto: Gilles Sabrie/The New York Times)
Fantasma bagunceiro
No condado de Kent, na Inglaterra, as câmeras de segurança de uma loja de produtos de nutrição teriam flagrado um fantasma, que derrubou produtos das prateleiras próximo a um dos clientes (leia a matéria).
Indicação mostra caixa de chá que estaria supostamente flutuando, antes de cair atrás de cliente (Foto: YouTube/Reprodução/nightghosthouse)Indicação mostra caixa de chá que estaria supostamente flutuando, antes de cair atrás de cliente (Foto: YouTube/Reprodução/nightghosthouse)
Leilão macabro
O escritório de serviços gerais de Nova York precisou recorrer ao site de leilões "eBay" para tentar vender um enorme refrigerador de cadáveres, que era utilizado pelo hospital psiquiátrico de Manhattan. O artigo usado, com quatro gavetas, teve preço inicial de R$ 950, e o comprador teria que se deslocar até o Centro Psiquiátrico de Manhattan para retirar o produto (leia a matéria).
Desde que instituição recorreu ao eBay, refrigerador com espaço para quatro cadáveres recebeu mais de 60 ofertas (Foto: Reprodução/eBay)Depois de a instituição recorrer ao eBay, refrigerador com espaço para quatro cadáveres recebeu diversas ofertas (Foto: Reprodução/eBay)
Não vou mudar não...
O governo do Japão assegurou em maio deste ano "não saber" sobre a presença de algum fantasma na residência oficial do primeiro-ministro, Shinzo Abe, devido à demora do político para se mudar para o local. Sobre o prédio, situado no coração de Tóquio a poucos passos do Parlamento, pesa uma lenda que diz que por seus corredores vaga o fantasma de um jovem militar do Exército Imperial japonês que participou do golpe de Estado fracassado do dia 26 de fevereiro de 1936 (leia a matéria).
Pergunta foi feita devido à demora de Shinzo Abe de sua para (Foto: Yoshikazu Tsuno/AFP)Pergunta foi feita devido à demora da mudança de Shinzo Abe para a residência oficial (Foto: Yoshikazu Tsuno/AFP)
Fantasma inglês
Em fevereiro deste ano, as câmeras de segurança de um centro comunitário de South Ruislip, na Inglaterra, registraram a aparição de um suposto fantasma. O circuito teria gravado a figura de um homem andando próximo à porta de saída do estabelecimento, e desaparecendo logo em seguida ao atravessar uma grade (leia a matéria).
Câmera teria registrado fantasma saindo de centro comunitário (Foto: Reprodução)Câmera teria registrado fantasma saindo de centro comunitário (Foto: Reprodução)
Casa leiloada por 1 euro
Um usuário do site de leilões online "eBay" fez o anúncio de uma casa de 350 metros quadrados e 4 quartos, localizada na região de Ródano-Alpes, na França, por apenas 1 euro. O preço tão baixo é justificado pelo fato de que a residência seria mal-assombrada, por ter sido palco de duplo assassinato nos anos 50 (leia a matéria).
  •  
Casa mal-assombrada na França foi à venda por apenas 1 euro (R$ 2,70). (Foto: Reprodução)Casa mal-assombrada na França foi à venda por apenas 1 euro (R$ 2,70). (Foto: Reprodução)
Espelho 'do mal'
Um perfil do site de leilões online “eBay” ofereceu por cerca de R$200 um espelho antigo que, de acordo com a descrição do produto, seria mal-assombrado. Desde que o objeto foi instalado, ele teria atraído má sorte, e os moradores dizem acordar ouvindo vozes, enxergar sombras, e que chegam a despertar no meio da noite sentindo dores e percebem arranhões em diversas partes do corpo (leia a matéria).
Espelho seria responsável por atividades sobrenaturais na casa (Foto: Reprodução)Espelho seria responsável por atividades sobrenaturais na casa (Foto: Reprodução)
A volta do fantasma de vampiro
Boatos sobre a volta do fantasma do lendário vampiro Sava Savanović, no fim de 2012, criaram pânico na vila de Zarozje, perto da cidade de Bajina Basta, na Sérvia. Um aviso oficial pedia para os aldeões colocarem alho em seus bolsos e cruzes de madeira nos quartos de casa. (leia a matéria).
Outdoor mostra o lendário vampiro Sava Savanović . O cartaz diz: 'primeiro vampiro sérvio'. (Foto: Darko Vojinovic/AP)Outdoor mostra o lendário vampiro Sava Savanović . O cartaz diz: 'primeiro vampiro sérvio'. (Foto: Darko Vojinovic/AP)
Fantasma de Diana
No início de 2012, o investigador paranormal Michael Cohen comentou sobre um vídeo que mostraria supostamente uma figura fantasmagórica de aparência semelhante à da princesa Diana em um vitral. O vídeo foi filmado em uma igreja de Glasgow, na Escócia, por turistas chineses (leia a matéria).
Vídeo foi filmado em uma igreja escocesa por turistas chineses. (Foto: Reprodução/ITN News)

Vídeo foi filmado em uma igreja escocesa por turistas chineses. (Foto: Reprodução/ITN News)





 
 


 
 

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Halloween está chegando....

      Abençoados sejam!

      Minha visita por aqui hoje será breve. Só passei mesmo para lembrar que na próxima quinta-feira, dia 31 é Halloween.
      Sei que aqui no hemisfério sul nós comemoramos esta data em primeiro de maio, mas acho que vale a pena entrar no clima. Ter pensamentos positivos e querer que o nosso ano comece com o pé direto é sempre bom, independente de que época do ano é.
     Mas não vim aqui para discutir esse assunto em específico, vim apenas para comunicar que, nas próximas postagens, vou colocar aqui no blog textos e outras informações que acho interessante partilhar com vocês. Dessa forma, eu aproveito para relembrar e reaprender algumas coisas. Mas, acima de tudo, espero que tenham utilidade para vocês.
 
     Bem pessoal, por hoje era isso. Já dei meu recado, na semana que vem teremos novidades.
     Ah sim! Peço que o pessoal que quiser, que sintam-se à vontade para discutir ou comentar algo sobre os livros, claro, tudo dentro do respeito e bom senso.
 
    Até semana que vem,
 


 

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Carga da Deusa

Olá, abençoados sejam!
Decidi postar esse texto conhecido da Deusa, pois acho um texto muito lindo.

A Carga da Deusa


Ouçam as palavras da Grande Mãe, que, em tempos idos, era chamada de Ártemis, Astartéia, Dione, Melusiana, Afrodite, Ceridwen, Diana, Arionrhod, Brígida e por muitos outros nomes:

Quando necessitar de alguma coisa, uma vez no mês, e é melhor que seja quando a lua estiver cheia, deverá reunir-se em algum local secreto e adorar o meu espírito que é a rainha de todos os sábios. Você estará livre da escravidão e, como um sinal de sua liberdade, apresentar-se-á nu em seus ritos. Cante, festeje, dance, faça música e amor, todos em minha presença, pois meu é o êxtase do espírito e minha também é a alegria sobre a terra. Pois minha lei é a do amor para todos os seres. Meu é o segredo que abre a porta da juventude e minha é a taça do vinho da vida, que é o caldeirão de Ceridwen. que é o gral sagrado da imortalidade. Eu concedo a sabedoria do espírito eterno e, além da morte, dou a paz e a liberdade e o reencontro com aqueles que se foram antes. Nem tampouco exijo algum tipo de sacrifício, pois saiba, eu sou a mãe de todas as coisa e meu amor é derramado sobre a terra.

Atente para as palavras da Deusa estelar, o pó de cujos pés abrigam-se o sol, a lua, as estrelas, os anjos, e cujo corpo envolve o universo:

Eu que sou a beleza da terra verde e da lua branca entre as estrela e os mistérios da água, invoco seu espírito para que desperte e venha até a mim. Pois eu sou o espírito da natureza que dá vida ao universo. De mim todas as coisa vêm e pra mim todas devem retornar. Que a adoração a mim esteja no coração que rejubila, pois, saiba, todos os atos de amor e prazer são meus rituais. Que haja beleza e força, poder e compaixão, honra e humildade, júbilo e reverência, dentro de você. E você que busca conhecer-me, saiba que sua procura e ânsia serão em vão, a menos que você conheça os mistérios: pois se aquilo que busca não se encontrar dentro de você, nunca o achará fora de si. Saiba, pois, eu estou com você desde o início dos tempos, e eu sou aquela que é alcançada ao fim do desejo.
 
Até a semana que vem,
 
 

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Tirinha...

Abençoados sejam!!

Que saudades de escrever aqui, parece que fiquei uma eternidade distantes... bem, mas aqui estou eu.

Navegando hoje pela Internet vi uma tirinha sobre bruxas bem estranha. A princípio fiquei confusa, pois não identifiquei se o autor queria “avacalhar” com a igreja ou passar a informação de que bruxas podem ser tementes a Deus. Bem, sei lá. Só sei que eu achei esquisito e pensei que seria interessante compartilhar isso com vocês.
Não sou dona da verdade, mas fazer uma tirinha misturando bruxaria com assuntos gospel, não ficou nada legal, mas quem sou eu? Só sei que nada sei.




Abraços, bom feriado e que a luz da Lua no ilumine sempre. )O(

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Lembranças pagãs

      Abençoados sejam!!


Hoje resolvi escrever um pouco sobre os alunos que passaram por mim.

Provavelmente, o fato de nenhum deles ter concluído alguma coisa seja culpa minha. Culpa por dizer que o Caminho não é tão fácil, culpa por avisar que a magia não ocorria como no Harry Potter (seria legal até), culpa por dizer que antes de fazer qualquer coisa a pessoa deve se conhecer. Se for isso, então eu sou mesmo culpada.

O ser humano é muito complicado de entender. Que raça que gosta de complicar quando pode facilitar!

Com certeza, se a Bruxaria resolvesse tudo em um estalar de dedos tudo estaria bem e não haveria nada com que se preocupar e também não teria por que evoluir...

Talvez, em minha ignorância, a Bruxaria seja uma ferramenta que irá nos ajudar a evoluir. Ela nos ensina tanta coisa que podemos aplicar em nosso cotidiano, mas quem estuda ou diz que estuda Bruxaria não está nem aí para isso. É muita hipocrisia alguém se dizer Bruxo se nem ao menos conhece seus temores e defeitos, escondendo-os tanto da sociedade quanto de si mesmo.

Ah sim! Há também aqueles que estudam apenas pelo poder (como se isso o tornasse melhor do os outros). Às vezes, a pessoa nem se identifica ou sente alguma coisa com relação à Bruxaria, mas estuda tudo o que pode (sem entender a metade) porque quer se iniciar o quanto antes para jogar na cara dos outros que é Bruxo ou Bruxa, como se isso fosse um status tipo um carro importado, um monte de dinheiro, essas coisas.


E quando o assunto é o amor? As criaturas insistem em pedir feitiços e outras coisas para afastar fulano de beltrano, mas onde fica o raio do livre arbítrio? Por que querer algo que não lhe pertence? Será que realmente aquela pessoa é seu par ou é somente mais uma conquista? Por que não pedir à Deusa e ao Deus, que lhes conceda alguém que seja bom para si? Por que causar a dor e a separação nos outros? Acaso não será capaz de conquistar alguém que não esteja comprometido? E, finalizando, para que gastar dinheiro e correr o mundo procurando algum Bruxo que faça maldade a uma pessoa? Existe a lei da ação e reação, mas as pessoas não querem ver isso. É preciso lembrar que, muitas vezes, ao fazer o bem à pessoa que se quer mal, nós acabamos sendo beneficiados. Por que não desejar que a pessoa que está no cargo que queremos ganhe um cargo melhor deixando o cargo vago? Tudo é tão simples, mas os aspirantes a Bruxo, Bruxa, não querem ver isso.

As pessoas que estudavam na época, tinham pressa e queriam resultados imediatos, mas não é assim que a banda toca e nunca vai ser. Para chegar em algum lugar é preciso perseverança, força de vontade, respeito e responsabilidade. Sendo assim, chego à conclusão de que todos esses que foram embora não tinham nenhuma dessas características...

É uma pena, pois dali poderia ter saído Bruxos e Bruxas muito bons, mas se não foi assim que aconteceu só a Grande Deusa para saber. De qualquer forma desejo muita saúde e paz aos alunos do passado e, que de alguma forma, eles tenham encontrado o seu caminho no presente.


        Por hoje era só. Abraços e que a luz da Lua nos ilumine sempre.

 

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Texto para pensar

    Abençoados sejam!!

    Após um mês afastada do blog, cá estou eu para postar.
    Esse texto eu recebi de uma lista de discussão de bruxos que pertenço.
    Achei o texto simples e prático ao mesmo tempo e, ao mesmo tempo ele nos diz que, certas coisas, quando vivenciadas, não podem ser expressadas, mas apenas sentidas. 


QUERO PROVAS!  

Um homem estava dando uma palestra para um auditório cheio. Ele contava as experiências que teve no plano espiritual, quando conseguiu sair de seu corpo físico e deslocar-se nos planos astrais. Ele visitou o plano espiritual superior, onde viu espíritos caminhando num vasto jardim, esteve na presença de mestres espirituais e sentiu a presença do divino dentro de si.

Na platéia
 havia um homem muito cético, que não acreditava numa só palavra do que o orador dizia. A cada experiência que o palestrante expunha, o homem sorria com um ar de cinismo, desprezando tudo aquilo.

Da metade para o final da palestra, o cético levantou-se da cadeira e interrompeu o palestrante, dizendo:

- Senhor, desculpe por quebrar sua fala no meio, mas tinha que fazer-lhe uma pergunta: por acaso o senhor tem alguma prova de todo este relato? Seria interessante que o senhor apresentasse uma prova ou evidência de suas experiências, caso contrário, não vejo qual a utilidade isso teria para todos se não pudermos ter certeza do que está sendo dito.

O palestrante ouviu o homem, pensou por um momento, e disse:

- De fato, não tenho nenhuma prova do que experimentei…

O homem sorriu, com ar de superioridade, após ouvir o palestrante. Ele acreditou que o havia deixado numa saia-justa e demonstrado a bobagem de tudo aquilo. Mas o palestrante continuou:

- No entanto, devo lhe dizer que, apesar de eu não ter uma prova concreta de tudo isso, isso não significa que tudo seja uma inverdade. Esse conhecimento encontra-se num nível de experiência, e este não pode ser passado a ninguém, pois é algo profundo e, por isso, intransferível. Não se pode medir ou pesar a percepção psíquica de alguém, ou olha-la de fora transformando-a num objeto de análise. O que posso te dizer é que percorri todo um caminho para chegar a ter essas experiências, e tudo isso é fruto do meu esforço pessoal. Para que você possa entender essa experiência, não pode recebe-la de fora, como um discurso de outra pessoa, você deve ter sua própria experiência também. Aqueles que desejam fazer da experiência espiritual um produto pronto e acabado, que recebemos de fora numa embalagem escrito “prova”, jamais a terão. Isso ocorre pelo simples motivo de que você precisa caminhar pelos seus próprios meios até atingir esse nível de percepção, e isso exige esforço e dedicação. Que mérito haveria em receber algo tão profundo e sublime de outrem? Essa não seria uma conquista tua, mas de outra pessoa. A aquisição desse nível de consciência requer um longo caminho a ser trilhado, e é necessário merecimento para que se dê a conquista final. Ninguém pode fazer pelo outro algo que só cabe a ele mesmo. Não tenho que provar coisa alguma, pois mesmo que o demonstrasse de forma inequívoca, ainda assim não me acreditaria até ver e sentir por si mesmo. Da mesma forma que a visão do cardápio nos dá uma impressão muito limitada do seu sabor, assim também a experiência espiritual indireta não pode nos trazer a verdade. Por isso, esforce-se por conquistar a experiência direta, posto que, somente assim, você poderá compreende-la tal como ela é, e não precisará mais colher os frutos plantados por outras pessoas, e tampouco necessitará de uma prova que esteja fora de você.

Autor: Hugo Lapa
-
Hugo Lapa
Terapeuta de Vidas Passadas
 
 
        Então era isso por hora. Uma ótima sexta-feira para vocês e que a luz da Lua nos ilumine sempre. )O(
 
 

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Ensinar por amor

      Abençoados sejam!!

     Vou postar um texto que eu escrevi há muito tempo, mas que acho interessante publicar.
      Lembro que, na época em que publiquei o texto no site Bruxaria.net, logo em seguida uma "bruxa" escreveu um texto baseado no meu, na verdade, ela escreveu um texto grosseiro até, dizendo que era um absurdo o fato de ensinar Bruxaria de graça. E depois escreveu mais coisas que eu não lembro...
      Acredito que ela se irritou tanto, porque muitas das coisas que eu escrevi ela devia fazer, caso contrário não há motivo para a indignação. Acho que ela escreveu o que escreveu porque o chapéu serviu e, provavelmente, ela não sabia lidar com a sombra dela e não admitiu que fazia o que eu
escrevi. Normalmente, quando a pessoa está errada, ela fica estúpida, irritada e muito ofendida (oras, por que eu vou admitir esse lado mercenário meu?) Ela deve ter pensado.
      Bem, vou postar o texto aqui e confesso que o ideal seria ter o meu e o texto dela, mas eu acho que salvei o texto dela em algum lugar dos meus alfarrábios. Prometo postá-lo aqui, assim que o encontrar.
     Tenham uma boa leitura.
     
 
             Ensinar por amor
 
Aprender a Arte... ensinar a Arte sem custos. Como fazer? Simples: ensinando com amor.
Não afirmo isto de forma genérica, mas por experiência. Nestes sete poucos anos em que estudo a Arte, me deparei com situações no qual o conhecimento era passado como uma espécie de mercadoria: ou se pagava por ele, ou não se aprendia. Concordo que deva haver algum custo para que o conhecimento seja passado como, por exemplo, o custo empregado para a confecção do material que será entregue ao aprendiz ou o valor cobrado para manter um coven e os materiais por ele utilizados, pois todos integrantes fazem parte dele e o usufruem, mas que este valor seja um valor mínimo, não usado para sustento próprio como já vivenciei.
A Arte deve ser ensinada com responsabilidade, dedicação e amor. Não é correto fazer dela um comércio, como tem sido feita. Levi (1998) já dizia isto ao afirmar que o mago deve ter outra profissão, uma vez que a magia não é um ofício. Neste caso, ele refere-se, em específico, à magia. em específico, que é uma ciência voltada para ao estudo dos segredos da Natureza e sua relação com o homem. Eu me refiro ao ensino da Antiga Arte, da Bruxaria, que utiliza a magia da Natureza com o propósito de atingir determinados fins.
Ao meu ver, todo(a) Bruxo(a) que realmente leve a sério a Bruxaria e toda a filosofia nela contida, deve ter um respeito muito grande pelo caminho que escolheu seguir e, por conseguinte, não deve fazer dela um negócio. Comercializar rituais, vender iniciações ou trocar o conhecimento por dinheiro é algo para, no mínimo, questionar a veracidade.
Bruxos(as) que são agraciados com o dom de ensinar, de passar adiante o conhecimento sobre a Arte, deveriam ensinar a todos aqueles que chegam até eles através do Chamado da Deusa, independentemente se podem ou não pagar por este conhecimento. O que se dirá daquelas pessoas que não possuem condições financeiras para pagar por um curso de Iniciação à Wicca, por exemplo, e que realmente o levariam a sério. Sim, pois há muitas pessoas com recursos suficientes para realizarem diversos cursos esotéricos, mas, no entanto, os fazem apenas para provar aos outros que têm tal certificado ou que sabem mais. Não pelo amor à Arte  ou  por querer aprender para, quem sabe posteriormente, passar o conhecimento aos outros. Pois foi por amor e dedicação de nossos antepassados que a Bruxaria está presente em nossas vidas.
Vejo Bruxos (as) vendendo conhecimentos a preços exorbitantes com a desculpa de que precisam valorizar o que sabem. Porém, como já foi dito antes, se eles possuíssem uma fonte que os sustentasse, isto não seria necessário. O aprendiz não seria explorado financeiramente e o conhecimento não lhe seria negado. O que se aprende com o coração, se ensina com amor.
O que pretendo ao escrever este texto é fazer com que os(as) Bruxos(as) que vendem a Antiga Arte parem e reflitam se, de fato, estão cumprindo com o verdadeiro propósito ensinado há gerações pelos Antigos ao  passar o conhecimento: dedicação, respeito e amor.
Morghana (12/01/07)
 
Espero que tenham gostado, até a semana que vem,
      )O( Que a luz da Lua nos ilumine sempre )O(
 
 

sexta-feira, 14 de junho de 2013

A escolha de um caminho

     Abençoados sejam!!

Posto hoje aqui, um texto que escrevi em 2007 (já faz um bom tempo...).
Apesar do texto ser "antigo" serve muito bem para os dias de hoje.
 
Não tenho a data precisa de quando comecei a seguir por esse caminho. Só o que sei é que ele foi, aos poucos, se mostrando a mim. E, o pouco que vi, me fez perceber que era exatamente o caminho certo a seguir, embora, em nossas vidas não exista exatamente um caminho certo ou errado, simplesmente há caminhos a escolher. Não importa a direção que seguirmos, cada caminho, em sua diferença, sempre conduzirá ao mesmo lugar, à mesma verdade.
A Bruxaria, é uma filosofia de vida e a forma mais simples e pura de entender os verdadeiros mistérios da vida. É por isso, que eu não consigo entender o motivo de, em pleno século XXI, o século da informação, que ainda existam pessoas que tremem só de ouvir falar em Bruxas. É uma contradição que, com tantos avanços tecnológicos, científicos e “sociais” ainda exista esse tipo de preconceito.
Muitas pessoas falam que não gostam de Bruxas, que elas são más e que só vivem para trazer desgraça às outras pessoas. Mas isso não é verdade! É tudo uma falácia que a Igreja criou para poder exercer poder sobre as pessoas. Bruxas e Bruxos são pessoas normais, que vivem como qualquer outra pessoa e utilizam a energia da Natureza como uma maneira de estarem sempre conectados com a Deusa. O que há, na verdade, é uma força que abrange todos os seres e se espelha por tudo. Essa não é nem boa, nem ruim, simplesmente é. E aqueles que souberem lidar com ela é que possuirão o livre arbítrio de escolher como e de que forma irão usar essa força. A magia será branca ou negra de acordo com a alma daquele que a utiliza.
Desde o início dos tempos, o homem sempre teve medo de tudo aquilo que não conhecia e, por isso, tende a repudiar e afastar tudo aquilo que foge do seu conhecimento. E foi isso que aconteceu na época da caça às Bruxas. Toda a mulher que soubesse curar doenças, que usasse ervas e que pensasse diferente da maioria era considerada Bruxa e queimada na fogueira, sem ao menos ter direito a se defender, aliás, naquela época, as mulheres não tinham direito a nada.
Foi realmente uma época horrível, uma época em que se observou o quanto o ser humano, em sua essência, é podre e está muito longe de ser civilizado. Utilizar técnicas de tortura, fazer com que pessoas inocentes fossem mortas ou estimular espionagem, acusações entre pessoas conhecidas ou até mesmo da mesma família para fugirem da fogueira são apenas algumas das milhares de atitudes bárbaras e cruéis utilizadas pela Igreja Católica, com o intuito de eliminar todos aqueles que estivessem em seu caminho e fossem contra sua maneira de pensar.
Muitas Bruxas morreram por defender seus ideais e seu jeito livre de ser e de pensar. E muitas outras lutaram com todas as suas forças para fazer com que a Bruxaria continuasse existindo, mesmo contra as imposições da Igreja que queria subjugar e dominar tudo e todos. Graças a elas, é que hoje podemos ainda estudar a Velha Tradição e os mistérios da natureza. Graças a elas ainda podemos ver o quanto é bela a Antiga Arte, como seus ensinamentos e ideais são simples e desprovidos de qualquer pretensão. Não somos culpados de nada, não temos pecado nenhum. Somos apenas seres que buscam a comunhão com a natureza e com as forças que nos cercam e que existem há muitos anos, muito antes de nós. Não queremos o mal de ninguém, não obrigamos ninguém a estudar nossa religião, simplesmente vivemos a vida, comemoramos as passagens do ano e as estações... não provocamos desastres naturais, apenas vivemos e respeitamos a Natureza como a um igual. Não a destruímos e sofremos muito quando vemos atrocidades cometidas como se fosse a nós mesmos que tal fato fosse cometido.
Se não prejudicamos e não desejamos o mal de ninguém, então por quê a Igreja deturpou nossa imagem e hoje, em uma sociedade avançada tecnicamente e dita, avançada culturalmente, ainda somos vistos como criaturas más, fora do padrão social e normal?
Sinto-me mal quando alguém confunde um pentagrama com o selo de Salomão e me sinto pior ainda quando alguém pergunta a minha religião e sinto um certo receio em dizer que sou bruxa. E o mais engraçado e que, ao me perguntarem o significado do pentagrama, eu respondo qualquer coisa, dizendo que é um simples símbolo para atrair sorte e fico desejando que a pessoa não pergunte mais nada, para que eu não tenha que me esquivar mais do assunto e não dizer a verdade a ela, pois, com certeza, ela não entenderia.
Gostaria de sair por aí e assumir minha verdadeira identidade, meu verdadeiro caminho sem me sentir culpada por nada. Gostaria que eu pudesse dizer com orgulho a que quer que me perguntasse que sou uma Bruxa e que me sinto muito feliz por ser o que sou, exatamente quando acontecia com nossas irmãs e irmãos há muitos séculos atrás quando a Bruxaria era a religião natural das pessoas, quando se reuniam e comemoravam as colheitas, as luas, as estações... Naquela época, ninguém nascia com pecado ou culpado de nada, porque não havia motivos para isto. As pessoas viviam e respeitavam a Natureza, porque sabiam que faziam parte dela e que, se destruíssem ela, estariam destruindo a si mesmos, pois eles vinham da Natureza e para a Natureza retornariam depois que morriam, completando, assim, um círculo que jamais termina. Porém, as pessoas de hoje não conseguem ver e entender isso, pois carregam em si uma bagagem cheia de imposições, de regras e preconceitos que adquirem ao longo de suas vidas.
As pessoas deixaram de questionar o por quê agem de certa maneira, como recriminam os outros que são e pensam  diferente delas. Simplesmente vivem como robôs, seguindo e cumprindo leis que lhes são impostas ao longo de suas vidas.
Ah, ainda há tanto pra falar e discutir sobre coisas de errado que há neste mundo, mas toda a vez que eu paro para pensar no caminho que nossa religião teve que passar para chegar em segredo até nós, que me sinto tão triste que sinto vontade de chorar. Chorar por todas as mulheres que morreram na fogueira queimadas simplesmente porque cultuavam a Natureza, vejam bem! Cultuavam a Natureza, a mesma Natureza que hoje, muitos grupos como o Greenpeace, por exemplo, luta para salvar. Mulheres e homens, exatamente iguais a nós que conheciam ervas, sabiam usá-las e curavam pessoas com elas. Não há nada demais em cultuar as fases da lua, em comemorar as estações do ano ou comemorar o simples fato de estar vivo! Não há nada de extraordinário nem sobrenatural nisso. É apenas a comemoração da vida, do ciclo que todos nós, sejamos budistas, católicos, umbandistas ou espíritas passamos.  É só a comemoração desse círculo sem fim que animais e humanos seguem, sem exceção nenhuma e que todos estão ligados de uma maneira ou de outra.
Sinto-me triste ao saber que a nossa Tradição cultuada com tanto amor e dedicação por nossos irmãos antigamente, hoje foi transformada em algo promíscuo e maléfico. Que nossos ideais de vida foram usados e tiveram seus significados alterados e distorcidos por outras religiões que se dizem donas da verdade e prometem às pessoas libertação e um lugar no céu, se em troca, receberem algum dinheiro ou algum tipo de sofrimento, pois só assim a vaga no céu estará garantida.
Não sei ao certo quando eu ouvi o Chamado nem quando eu comecei a trilhar esse caminho, mas sei que depois que ouvi a voz da Deusa e percebi a simplicidade das coisas que estão ao meu redor, é que senti o quanto é bom estar viva e poder contemplar o canto dos pássaros, sentir o vento bater em meu rosto, sentir o cheiro de grama e poder olhar tudo com clareza e admiração... estou aqui, seguindo mais uma vez o mesmo caminho que milhares de outras Bruxas seguiram, vendo a cada dia que meu papel neste mundo e, nesta vida, de alguma maneira é importante e fundamental para que mais uma vez o ciclo sem fim da vida se cumpra e se renove e, que a Antiga Arte, por mais uma geração, continue sendo a celebração da vida e do simples fato de existir.
Foi por isso que escolhi esse caminho e, se pudesse escolher de novo, de novo eu faria a mesma escolha, porque a alma de uma Bruxa não muda jamais...
 Morghana    27/01/07
 
Espero que tenham gostado.
Até a semana que vem e que a luz da Lua nos ilumine sempre. )o(
 
 
 
 

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Dança dos mortos

   Abençoados sejam!

   Na última postagem, coloquei um texto sobre o Deus Queer (eu só sei que eu não quero). Certo, desculpem a piadinha infame, mas vamos lá.
    Hoje vou postar um ritual do livro de Konstantinus, Nocturnicon. Confesso que tudo muito engraçado. Conforme ele descrevia o ritual, eu visualizava, mas chegou uma hora em que não consegui mais levar a leitura à sério. Eu não sei, mas normalmente as leituras de paganismo e de bruxaria que eu faço são sérias e eu consigo até sentir a energia do ritual, mas esse. Apesar de ser Magia Negra (que eu gosto muito) não foi possível considerar.
    Depois me digam o que acharam.
 



 
 
Bem, depois dessa só resta me despedir. Até a semana que vem e que a Lua nos ilumine sempre.
 
 
 

sábado, 1 de junho de 2013

Está um pouco estranho...

      Abençoados sejam!!

  Faz um tempo que não passo por aqui para escrever alguma coisa. O tempo e as situações que se apresentam sempre me "afastam" dos meus blogs, mas cá estou eu aqui.
   Bem, eu tenho um capítulo de um livro do Claudiney Pietro (Ritos de Passagem) que escaneei porque queria compartilhar com vocês.
   Certo, estamos em uma época em que o Homo é normal e quem não é, é obrigado a aceitar a situação. Não digo com isso que sou contra ou a favor, porque minha vida não muda em nada com isso.
   Apenas achei curioso e questionável a criação de um deus na Bruxaria para os homossexuais. Estranhei, porque se assim é, então qualquer pessoa pode criar um deus. Eu, que sou apaixonada por Beethoven e Freddy Krueger, também posso criar deuses deles e sair por aí cultuando?
    Existem coisas que os Gardnerianos defendem que eu não concordo (o esquema de só prestar se for descendente de Gardner), mas vamos pensar:
    A Wicca, em partícula continuar, tem suas regras e seus fundamentos. Se um homossexual quer ser Wiccano, então deve se adaptar às regras da religião que escolheu. Se é complicado demais se envolver com o sexo oposto, então acredito que esse não é o caminho dele.
    Não quero ser de modo algum taxativa ou racista, mas acontece que ficar por aí criando deuses que se adaptem às nossas necessidades faz com que a Wicca e a Bruxaria acabem perdendo o sentido, porque qualquer um vai inventar um deus que lhe agrada. Se for assim, então para quê existir a religião? É como se um grupo de homossexuais criasse um novo santo que defenda a homossexualidade na Igreja Católica.
   A sociedade pode estar mais "liberal" e coisa e tal, mas pelo menos o respeito às religiões deveria continuar.
   Já li textos que falam sobre estudos que comprovam que existe homossexualismo na natureza, que os animais não se juntam apenas para reprodução. Mas isso não justifica a criação de deuses homossexuais por causa de um grupo de "bruxos" que não conseguem se relacionar com o sexo oposto porque não quer, na parte religiosa.
   Quando se fala em energia, deve-se trabalhar com os opostos. Dia-Noite, Sol-Lua, Claro-Escuro... e por aí vai. Me digam, que EQUILÍBRIO pode haver se todos forem para o mesmo lado? É como uma balança: se houver peso em só um dos lados, o desequilíbrio é inevitável, mas me parece que esse pessoal não entendeu...
   E o Grande Rito, não o simbólico, mas o real (para quem pratica), como fica? Como é que vão canalizar a energia se houver 2 Sacerdotisas ou 2 Sacerdotes? Isto é uma coisa que eu queria entender, mas confesso que, por mais argumentos que existam, ainda não vou compreender...
   Sendo assim, vou deixar o capítulo que fala sobre isso, para vocês lerem e tirarem suas próprias conclusões.
    Abraços e que a Luz da Lua nos ilumine sempre )O(,